Filho dos Dias; Eduardo Galeano

Filho dos Dias; Eduardo Galeano

Queremos compartilhar, a partir desta sexta-feira, trechos do livro de Eduardo Galeano Os Filhos dos Dias, publicado pela L&PM em 2012. Nele, existem muitas histórias, uma história para cada dia do ano. Não reproduziremos por completo a obra, mas escolheremos uma história por semana para divulgar aqui no Blog.

Para hoje, escolhemos a história do dia 7 de janeiro, intitulada A Neta.

              Soledad, a neta de Rafael Barrett, costumava recordar uma frase do avó:
– Se o Bem não existe, é preciso inventá-lo.
Rafael, paraguaio por escolha própria, revolucionário por vocação, passou mais tempo na cadeia que em casa, e morreu no exílio.
A neta foi crivada a balas no Brasil, no dia de hoje de 1973.
O cabo Anselmo, marinheiro insurgente, chefe revolucionário, foi quem a entregou.
Cansado de ser perdedor, arrependido de tudo o que acreditava e gostava, ele deletou um por um de seus companheiros de luta contra a ditadura militar brasileira, e os despachou para o suplício ou o matadouro.
Soledad, que era sua mulher, ele deixou para o fim.
O cabo Anselmo apontou o lugar onde ela se escondia e foi-se embora.
Já estava no aeroporto quando ouviram-se os primeiros tiros.

Anúncios