Tendo início com Getúlio Vargas, após o Estado Novo, em meio a polarização ideológica no mundo entre o capitalismo e o comunismo soviético, o Trabalhismo acabava sendo uma alternativa de representação àqueles que não se identificavam nem com um modelo de sociedade nem com outro, refletindo sua ideologia no Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) criado por Getúlio Vargas e Alexandra Marcondes Filho, seu Ministro do Trabalho, em 1945. Podemos dizer que as ideias trabalhistas tiveram o auge de sua radicalidade expressa através da figura de Leonel Brizola, então Governador do Rio Grande do Sul entre 1959 à 1963, pouco antes do golpe civil militar. Nesse governo, Brizola chegou a desapropriar empresas norte-americanas, como a Bond and Share e a ITT, estatizando-as e considerando seus bens de interesse para utilidade pública.

O Trabalhismo se colocou na posição de responder a demandas da população, principalmente dos trabalhadores, assegurando direitos até hoje garantidos, como férias e 13º salário, por exemplo, tendo suas bandeiras muitas vezes identificadas com as “Reformas de Base” – tema que falaremos semana que vem. Porém, é importante termos o entendimento de que o Trabalhismo não buscava uma mudança estrutural do sistema capitalista, sendo até hoje lembrado como uma ideologia política de esquerda moderada.

Abaixo, indicamos dois vídeos, que expressam um pouco do que foi esse movimento. Produzidos em 1962 pelo CineJornal da Agência Nacional, falam sobre os avanços do Estado do RS no Governo de Leonel Brizola, principalmente no que tange a reforma agrária, educação e infraestrutura.

Acesse o primeiro vídeo na página ZappiensO Exemplo da Terra – Reforma Agrária no governo de Leonel Brizola

Advertisements