No final de mês de março e início de abril deste ano, ocorreram vários eventos, espalhados pelo Brasil, cujo objetivo de lembrar e de Descomemorar os 50 anos do Golpe que instaurou uma Ditadura Civil Militar no Brasil tomaram a cena dessas atividades.

O Apers prestigiou alguns desses eventos realizados na cidade de Porto Alegre. Nas pessoas da Diretora Isabel Almeida e dos servidores Clarissa Sommer, Maria Cristina Kneipp Fernandes, Michel Cury, Nôva Brando e Vanessa Menezes, o Arquivo publico se fez presente em diversos deles: no evento promovido pela Câmara dos Vereadores de Porto Alegre na Sessão de Restituição dos mandados de prefeito, vice-prefeito e vereadores cassados durante a ditadura.

Os mandatos foram restituídos a Sereno Chaise (prefeito), de 86 anos, Ajadil de Lemos (vice, já falecido) e aos vereadores Alberto Schroeter, Hamilton Chaves, Dilamar Machado, Marcos Klassmann e Glênio Peres – os últimos quatro já falecidos – e Índio Brum Vargas, de 86 anos; na Audiência da Comissão estadual da Verdade e da OAB/RS que ouviu advogados gaúchos que atuaram na defesa de cidadãos perseguidos no Rio Grande do Sul; no Ato-Homenagem 50 Anos do Golpe de 1964, 50 anos de impunidade, realizado no Salão de Atos da UFRGS, que homenageou, nas pessoas de João Carlos Bona Garcia, Nilce Azevedo Cardoso, Lilian Celiberti, Suzana Keniger Lisbôa, Antônio Losada, Sônia Hass, Nei Lisbôa, FlavioKoutzii e Lorena Holzmann, a dignidade da resistência contra a Ditadura e da luta contra a impunidade na democracia; nos painéis e debates, promovidos pelo Memorial do RS e Museu de Direitos Humanos do Mercosul, que trataram de temas como Memória, Direitos Humanos, Reparação, Pedagogia da Memória, Gênero e Democracia; no Seminário As mídias, as marcas, os arquivos: 50 anos do golpe de 1964, promovido pela Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul; e, ainda, no Grande Expediente da Sessão plenária da Assembleia Legislativa do RS, do dia três de abril, cujo tema era “Reformas de Base – Caminhos para um novo Brasil, em memória às reformas de base projetadas pelo ex-presidente João Goulart”.

Nesse ano, além das ações que serão desenvolvidas pelo Arquivo em torno da temática, continuaremos prestigiando eventos organizados por outras instituições e organizações comprometidas com a importante tarefa de lembrar, “para que não se esqueça, para que nunca mais aconteça!”.
Descomemorações dos 50 anos do Golpe Militar

Advertisements