Copa 1970 - Médici e a Taça

Copa 1970 – Médici e a Taça

Foi na gestão de Garrastazu Médici que o Brasil sagrou-se campeão da Copa do Mundo 1970 realizada no México e trouxe consigo a taça Jules Rimet. As seleções que precederam a de 1970 eram compostas exclusivamente por jogadores brancos, e a partir do ingresso de Pelé e Jairzinho, por exemplo, o regime ditatorial viu surgir a identidade que faltava para a sociedade. Portanto a vitória no México tornou-se quase uma questão de Estado e o uso político para isso era inquestionável. A entendimento do governo coube a mídia impressa e a televisão o “incentivo” para que a população acompanhasse a trajetória do selecionado brasileiro no mundial do México.

A ditadura civil militar brasileira ainda é um tema muito obscuro na história do Brasil, muito se sabe, mas o fato de que certos arquivos da época ainda não poderem ser estudados, as fontes mais acessíveis são os jornais, que estão disponíveis em diversos acervos pelo Brasil e a partir deles pode-se perceber como as notícias chegavam na sociedade. A mídia jornalística no ano de 1970 ainda não era utilizada como fonte histórica, visto o pequeno número de trabalhos que se valia de jornais e revistas como fonte de conhecimento histórico.

Copa 1970 – Médici e Carlos Alberto

Este trabalho é o resultado de uma pesquisa realizada no ano de 2013 pelo Historiador Alexandre Ávila e consiste em uma análise de como as notícias da copa do mundo de 1970 chegaram ao Rio Grande do Sul. Para isso foram utilizadas todas as edições do Correio do Povo que datam de 31/05 até 21/06 de 1970. Através desta temática, pode ser percebido como o governo ditatorial se utilizou do evento mundial para exaltá-lo e ao mesmo tempo encobrir as violações aos direitos humanos que aconteciam no Brasil. A partir deste trabalho é possível analisar o período ditatorial através de uma perspectiva pouco diferente, os jornais. Clique aqui para acessar o trabalho Futebol em tempos de Ditadura:Correio do Povo e a Copa da 1970.

Anúncios