Tortura - Nunca Mais!

Tortura – Nunca Mais!

A criminalização da tortura em nosso país é quase tão recente quanto a conquista de nossa democracia. A tortura institucionalizou-se como crime com a Lei 9.455, de 7 de abril de 1997. Antes dela, a tortura era tratada como crime somente quando fosse praticada contra crianças. Contudo, não definia a tortura em termos específicos.

A violência da tortura “é a destruição da essência de alguém”. A caso da violência contida na tortura, é a destruição da humanidade da essência de ser alguém. A tortura apaga os traços definidores de um sujeito. A desumanização dos participantes desse processo se dá à medida que o torturador se coloca acima da condição humana e força o torturado a se colocar na situação abaixo da condição humana.

A tortura é usada como meio para obter informações, mas também para destruir e abalar o psicológico do torturado. Os casos de tortura também gerou um medo coletivo, medo dos porões, do envolvimento com a política, medo da perseguição. A tortura foi um instrumento de coerção amplamente utilizado pelo aparato militar da ditadura. As sessões eram monitoradas pela presença de médicos e enfermeiros nas seções de tortura, cujas intervenções davam o aval ou não para continuar com a violência.

Trazemos esta semana a temática: “Relatos de torturados”. Para tanto precisamos compreender o que é a tortura. Trazemos uma cena que apesar de se tratar de uma novela retrata bem o quadro.

Nesta Cena do filme “Batismo de Sangue” retrata o momento em que dois dominicanos são levados pelos militares. Na sequência, os militares os torturam para saber onde encontrar o líder da ALN, Mariguella.

Advertisements