Produzir uma cronologia (“linha do tempo”) de um período nos ajuda a identificar alguns pontos mais sólidos sobre os quais podemos basear nossa análise.  Contudo, uma cronologia não conta a história por si, apesar de parecer tratar de forma imparcial determinada questão. Isso pode fazer parecer que o conhecimento histórico pode ser produzido apenas amontoando uma porção de dados e de “fatos históricos”, porém, esse pensamento é bastante enganador. Isso pode ser expresso em dois motivos, que aparecem com mais força: o pesquisador é aquele que determina o que é e o que não é um “fato histórico”, escolhendo alguns e deixando outros; além disso, por maior que seja a quantidade de dados, precisamos de uma interpretação que faça com que eles tomem sentido. Bom, feitas essas brevíssimas ressalvas, apresentamos alguns pontos que consideramos marcantes no processo de abertura política. Nossas escolhas buscam revelar o caráter limitado e controlado do processo de abertura para a redemocratização, esse foi pressionado constantemente pelo crescimento da luta dos trabalhadores, de outras forças políticas, de alguns setores da classe média. 

  • Janeiro de 74: Geisel é eleito presidente pelo colégio eleitoral. Após alguns meses produz a promessa de uma “abertura lenta, gradual e restrita”. (Posse de Geisel, Agência Nacional: https://www.youtube.com/watch?v=To4gg0oOJXw)

  • Novembro 74: Nas eleições para o Congresso Nacional o MDB apresenta enorme crescimento no número de representantes, elegendo 16 dos 22 senadores e cerca 45% das cadeiras da Câmara dos Deputados.

  • Março de 75: É criado, em São Paulo, o Movimento Feminino pela Anistia, um dos primeiros a pressionar a Ditadura para a implementação da Anistia. 

    Jornalista Vladimir Herzog, assassinato no DOI-CODI de São Paulo. O laudo de sua morte indica suicídio.

    Jornalista Vladimir Herzog, assassinato no DOI-CODI de São Paulo. O laudo de sua morte indica suicídio.

  • Outubro 75: O jornalista Vladimir Herzog é assassinado sob tortura nas dependências do DOI-CODI, subordinado ao II Exército de São Paulo. Vladimir se apresentou para prestar depoimento após ser solicitado a esclarecer sua atuação como diretor de jornalismo da TV Cultura. O boletim da polícia apresenta a versão de que Herzog se enforcara. Após a morte desse influente nome ocorrem grandes manifestações de protesto contra a Ditadura. 

  • Janeiro de 76: O metalúrgico Manuel Fiel Filho é encontrado morto nas dependências do DOI-CODI, subordinado ao II Exército de São Paulo. A explicação dada pelos órgãos oficiais foi a mesma para a morte de Herzog, ou seja, teria cometido suicídio. (visita online DOI-CODI http://noticias.uol.com.br/infograficos/2014/04/02/visita-virtual-ao-codi-e-deops.htm)

    (vídeo ebc sobre a redemocratização: http://www.ebc.com.br/cultura/galeria/videos/2014/03/exposicao-mostra-a-luta-pela-restauracao-da-democracia-durante-a)

  • Julho de 76: Geisel sanciona a “Lei Falcão”, que altera o Código Eleitoral, tornando menor a possibilidade dos candidatos de apresentarem críticas e propostas durante a campanha eleitoral. A partir dessa lei, a propaganda de TV apenas conteria foto e currículo do candidato. 

    Charge de Ziraldo

    Charge de Ziraldo

  • Março de 77: MDB derrota no Congresso o anteprojeto da reforma
    do Poder Judiciário elaborado pelo governo.
    Outra questão preocupa o Executivo: as eleições estaduais de 78, que deveriam ocorrem por eleição direta, conforme estabelecido constitucionalmente. Essas duas questões ajudam a compreender a ação de Geisel, que fecha o Congresso Nacional em 1º de abril.

  • Abril de 77: Geisel, com o Congresso fechado, impõe o Pacote de Abril, que promove a manutenção das eleições indiretas para governadores dos estados, estende o mandato presidencial de cinco para seis anos, cria a figura do senador biônico (escolhido pelo Executivo) e redução do número mínimo de votos para transformações da Constituição, de 2/3 do total para minoria simples. http://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/FatosImagens/PacoteAbril

  • Fevereiro de 78: É fundado o Comitê Brasileiro pela Anistia (CBA) do Rio de Janeiro.

  • Maio de 78: Metalúrgicos da Scania, em São Bernardo do Campo, iniciam a primeira greve do paísAto Metalurgico no ABC - 1978 após o AI-5. Greve é levada para outras fábricas, tendo prosseguimento até junho de 78, quando é fechado acordo coletivo com os trabalhadores. 

  • Novembro de 78: Eleições para o Congresso Nacional. A Arena elege mais representantes, tendo maior força nas regiões menos desenvolvidas e industrializadas. Contudo, o MDB obtém maior soma total de votos para o Senado e permanece majoritária nos principais Estados do país.

  • Dezembro de 78: Entra em vigor a nova Lei de Segurança Nacional.

  • Março de 79: 180 mil operários fazem greve em São Bernardo do Campo.

  • Agosto de 79: O presidente Figueiredo sanciona a Lei de Anistia. Segundo o Superior Tribunal Militar, a lei beneficia 4.650 pessoas entre cassados, banidos, presos, exilados ou destituídos de seus empregos. 

    Ampla mobilização social pela Anistia

    Ampla mobilização social pela Anistia

  • Novembro de 79: Restabelecimento do pluripartidarismo, rompendo com o bipartidarismo estabelecido em 1965, com o AI-2. A oposição forma diversos partidos, a grande maioria saindo do MDB.

  • Abril de 80: 330 mil metalúrgicos do ABC e de outras 15 cidades do interior de São Paulo entram em greve.

  • Novembro de 80: Aprovada no Congresso Nacional emenda constitucional que estabelece eleições diretas para os governadores de Estado e que acaba com a nomeação de senadores biônicos.

  • Abril de 82: Filme “Pra Frente, Brasil”, de Roberto Farias, é censurado por mostrar tortura nos anos 70.

  • Maio de 82: Dops (Departamento de Ordem Política e Social) do Rio Grande do Sul é o primeiro a ser extinto.

  • Novembro de 82: Ocorrem eleições diretas para governadores, senadores, prefeitos e deputados federais e estaduais. Foi estabelecido o “voto vinculado”, em que os eleitores deveriam votar no mesmo partido para todas os cargos para não ter seu voto anulado. O PDS, herdeiro político da ARENA, obtém total de votos equivalente aos quatro partidos da oposição (PMDB, PDT, PTB e PT).

  • Julho de 83: Primeira greve geral durante o período da abertura política.

  • Janeiro de 84: Lançada campanha das “Diretas Já!” em Curitiba (PR), com comício de cerca de 60 mil pessoas.

    Comício das Direta Já! em Porto Alegre

    Comício das Direta Já! em Porto Alegre

  • Abril de 84: Ocorre comício pelas “Diretas Já!”, no Rio de Janeiro, reunindo cerca de 1 milhão de pessoas.

  • Abril de 84: Congresso Nacional rejeita a emenda proposta por eleições diretas para a presidência em 1985.

  • Janeiro de 85: Pelo Colégio Eleitoral (eleição indireta) é eleito Tancredo Neves (PMDB) presidente do Brasil, por 480 votos contra 180 de Paulo Maluf (PDS).

  • Março 85: Toma posse o vice-presidente José Sarney, antes mesmo da posse de Neves, pois este estava hospitalizado.

  • Maio de 85: Aprovado pelo Congresso emenda constitucional que estabelece eleições diretas para a Presidência da República e prefeituras, estende o voto aos analfabetos e legaliza os partidos comunistas.

Advertisements